sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Explica essa, Sabino

Imponente como ele só, cantando de galo no terreiro dos outros e posando de impoluto diante de seus iguais, o deputado estadual Alcebíades Sabino parece ter esquecido das trapalhadas verificadas no tempo em que foi prefeito de Rio das Ostras. Joga pedra no telhado alheio, mas se lembrasse o ano de 2003 certamente iria pensar antes de fazer discurso de vestal.
O fato é o seguinte: a Procuradoria Geral da República, acusa Sabino e o então secretário de Saúde, o hoje vereador Orlando Ferreira Neto, o Neco, de superfaturamento na compra de medicamentos com dinheiro público para o programa Farmácia Básica.  Através de uma a Ação Civil Pública, o Ministério Público Federal pede a condenação do deputado e do ex-secretário com ressarcimento integral dos danos causados aos cofres públicos.
Segundo a denúncia, houve irregularidade na compra de remédios no processo de licitação 1.734/2003, quando foram pagos valores variando de 120,08% a 3800% a mais que o estipulado na tabela do Ministério da Saúde. O MPF propôs a ação após uma auditoria feita pela Controladoria Geral da União (CGU), na Prefeitura de Rio das Ostras. De acordo com o que foi apurado, em dezembro de 2003, três empresas participaram de uma tomada de preços para o fornecimento de medicamentos e a licitação foi vencida pela Faxfarma. Espera-se que o nobre deputado tenha uma explicação para isso.


3 comentários:

Anônimo disse...

Sabino foi o prefeito esbanjador. Superfaturamento é pouco. Ele tem muito o que explicar.

Anônimo disse...

Boa tarde, Elizeu. Não se explica o inexplicável.

Patrícia disse...

Acho difícil ele ter uma explicação clara sobre isso. Como prefeito aqui em Rio das Ostras melhorou e muito a cidade!