terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Concursado não pode ser terceirizado

Custo a crer que servidores públicos não conheçam as regras do jogo do funcionalismo, ou seja, o seu estatuto. Parece brincadeira, mas não é. Ontem recebi muitas mensagens de leitores se dizendo funcionários concursados de Guapimirim. Falavam de temor, pois seriam despedidos para serem contratados através da terceirização. Teve um que me disse assim: “Sou funcionário antigo e como vão fazer isso comigo, um efetivo?”
De Magé também vieram algumas mensagens com conteúdo idêntico. Um leitor me escreveu que a Organização Social Global Saúde, contratada para gerir os dois hospitais municipais, estaria com carteiras de funcionários efetivos para assinar. Isso é mentira. Funcionário concursado ou servidor efetivado por ter entrado para a Prefeitura antes da Constituição de 88, não pode ser terceirizado. Ele é funcionário público municipal e pronto.
A impressão que  essas mensagens me dão é a de que do outro lado da linha tem sempre um interessado em tumultuar as coisas e consegue isso com muita facilidade, por conta do alto grau de desinformação, pois o "ouvi dizer" é terrível e o A, nessa ótica e audição, muitas vezes ganha o som de B. No caso de Guapimirim é verdade que muitos servidores serão desligados da folha de pagamento da Prefeitura e contratados através da terceirização - com carteira de trabalho assinada -, mas isso só será feito com não estáveis. Quando digo “não estáveis” quero dizer não concursados e entender o contrário, insisto, é realmente pretender tumultuar a situação.

2 comentários:

Anônimo disse...

Bom Dia,
Uma vergonha Funcionários que não conhecem a Lei e seus Direitos. E ficam dando ouvido as conversas aos que nada sabem.
Porisso que quando entra um mal Administrador Prefeito deita e rola nas costas dos leigos.
Sejam inteligente para não serem passados para trás.
Vamos Ler conhecer a Lei, para não ficar dando esse mico, povo de Guapimirim e os Mageense.
Concursada de Magé.

Abraço

Anônimo disse...

Acho que esses concursados não conhecem e nunca nem leram o estatuto do funcionário público. Que vergonha, e o pior é que ficam enchendo a caixa de entrada do blog de uma pessoa que só quer nos ajudar, nos fornecendo informação.