quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Cassados terão de pagar a conta de nova eleição

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a Advocacia Geral da União (AGU), vão firmar nessa quinta-feira um acordo de parceria para que os prefeitos cassados substituídos por governantes eleitos em votação suplementar, indenizem os cofres públicos pelos gastos com as novas eleições. A parceria será assinada pelo ministro Ricardo Lewandowski, presidente do TSE e pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams. Esse acordo facilitará as ações pela recuperação judicial de recursos gastos pela Justiça Eleitoral.
Com a parceria o TSE passará as informações para a AGU e essa processará o candidato que deu causa à anulação do pleito. Pelo convênio a ser assinado, o TSE informará o gasto extra com cada eleição suplementar e fornecerá cópia do processo que levou à anulação do pleito, o que permitirá a identificação do candidato que teve o registro indeferido ou o mandato cassado, além dos motivos que levaram à condenação.
Desde as eleições municipais de 2008, foram realizadas 176 eleições suplementares e outras quatro estão marcadas para os três primeiros meses deste ano. No estado do Rio ocorreram duas votações suplementares. Os eleitores de Magé e Mangaratiba tiveram de retornar as urnas para eleger novo prefeito.

8 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma conta para os Cozzolinos pagarem. Vão acabar ficando sem dinheiro.

Anônimo disse...

Isso é fazer justiça. Uma excelente ideia.

Anônimo disse...

Boa Noite!!!

Será que os Cozzolinos irão pagar.
A Justiça esta chegando em Magé.
A Cidade que não tinha Lei.

Anônimo disse...

Elizeu, boa noite.

Curiosa essa notícia .Os tribunais se protegem, mas como ficam os cofres das cidades que foram o palco desses abusos? Quem nos devolverá os recursos desviados? Os verdadeiros motivos que levam um administrador público à condenação, esses ainda vão ficar sem resposta à sociedade .Um crime cometido e comprovado, mas sem condenação justa, não responde aos anseios do povo. Ao utilizar o poder para obter vantagens, usar recursos públicos em interesses pessoais, desviar verbas para favorecer alguns em detrimento de outros, enfim, todas essas práticas corruptas que levam alguém a perder um cargo público, sacrificam a todos, porque dividir recursos que poderiam ser usados em prol de uma comunidade, mas que beneficiam uma parcela mínima indevidamente, Isso é crime . Infelizmente só descobrimos, quando jornalistas denunciam ou poucas pessoas resolvem dar um basta e falar .Não existe processo sistemático de auditoria das contas públicas e nem existem controles confiáveis, assim, não conseguimos combater o mal fiscalizando e nada pode deter esse tipo de prática .A tentação à corrupção parece ser um fato “normal”, mas, não ser punido devidamente quando existe comprovação (e nem vou falar aqui das perdas morais incalculáveis), parece ser pior.Perder o poder é pouco.

Abraço grande

Homem Justo disse...

Um avanço com certeza, mas e todo dinheiro desviado e gestões corruptas por muitas vezes só o dinheiro que é usurpado dos cofres públicos pelos corruptos cobre com folga os custos de qualquer eleição suplementar.

Anônimo disse...

O Brasil aos poucos vai entrando nos trilhos, mas isso é só o começo, é preciso também obrigar os corruptos a devolverem o que foi roubado dos cofres públicos, o povo merece respeito...

Anônimo disse...

Ouvi algo de R$ 3,50 por habitante de multa para politicos que perderam mandatos e obrigaram o TRE fazer eleções exteporâneas.

è verdade o valor.

Se for será ótimo ver a campnha de dinho ficar mais pobre

Santos disse...

Boa noite,Elizeu.
Demorou,mas está acontecendo.Espero que além de fazer pagamento ao TSE,esses corruptos também tenham seus bens bloqueados e que devolvam ao município,tudo aquilo que surrupiaram.
Pode ser que com essa medida, aqueles que rezam pela maldita cartilha da corrupção e falcatrua,pensem duas vezes antes de roubar os cofres públicos.
Uma dúvida:essa medida já vale para os Cozollino ou será aplicada somente aos novos casos?
Fique com Deus.